Multilingual, Português (Portuguese)

A Comunidade Após o Vazamento de Gás

As cidades de Lawrence, Andover, e North Andover ainda sentem os efeitos dos vazamentos de gás da semana passada. 48 milhas de linhas de gás precisaram ser re-instaladas nas áreas afetadas, segundo a “WBUR News.” Enquanto a escola tem respondido rapidamente aos eventos para assegurar as alterações necessárias para os alunos, alguns edifícios e dormitórios ainda estão sem acesso a água quente e lavanderias. O Phillipian entrevistou diferentes membros da comunidade de Andover para saber como eles foram afetados pelos vazamentos de gás.

Sebastian Romero ’20 Aluno De Dia

Sebastian Romero ’20, um Aluno de dia e residente de Andover, estava andando para casa após o término do seu treino de futebol quando começou a receber notificações em seu celular mandando que saísse de dentro dos prédios escolares. Pouco tempo depois, recebeu ligações de seus pais mandando-o voltar imediatamente para casa. “Assim que eu cheguei, meus pais estava, em pé do lado de fora da casa e meu pai me disse que teríamos que sair imediatamente. Eu me senti muito ansioso porque ninguém sabia o que estava acontecendo. Nós tivemos que entrar no carro e dirigir sem rumo, sem saber para onde iríamos,” disse Romero. Segundo Romero, sua casa permaneceu intacta e ainda tinha eletricidade e água quente. Porém, Romero conta ter visto prejuízos em outras casas acerca da sua. “Menos de uma milha de distância, eu ví uma casa no final da rua pegar fogo. A casa inteira estava em chamas. Até agora a casa ainda está sendo consertada e as pessoas ainda tentam entender o que aconteceu. É muito intimidante para mim ver todo esse estrago de tão perto,” disse Romero.

Agora, Romero percebe que seu bairro já está voltando à rotina normal. Romero honra a sua comunidade por restaurar a eletricidade e a água quente para as casa o mais breve possível.

Jennifer Elliott ’94, Diretora de Estudantes e Vida Residencial

Após os vazamentos de gás, a administração tem trabalhado juntamente com o Administração do Planta Física (AFP) e empresas de serviços públicos para assegurar que os dormitórios que ainda estão sendo afetados tenham acesso à água quente e serviços de lavanderia o mais rápido possível. O AFP está buscando formas de energia alternativa para os dormitórios que estão precisando. “Houve várias iniciativas diferentes baseadas nas necessidades de um prédio específico. Eles forneceram serviços de lavanderia da E & R para todos os alunos que foram afetados, até que eles consigam obter essa fonte de energia novamente. Eles estão trabalhando em conseguir conectar esses prédios ao propano, em vez de ao gás natural, para que essa seja a fonte de energia, o que é obviamente um processo muito complicado ”, disse Jennifer Elliott ’94, Diretora de Estudantes e Vida Residencial. De acordo com Elliott, a questão do calor entre os edifícios do campus foi quase completamente resolvida. Fora alguns dormitórios, a maioria dos edifícios tem acesso ao calor. “Eles conseguiram os geradores regulares funcionando para que possamos obter calor. Alguns dormitórios serão atrasados nessa matéria, mas não mais do que normalmente estamos – normalmente não ligamos o calor até o início de outubro”, disse Elliott.

Paige Busse ’19, Proctor em Casa House

Paige Busse ’19, Proctor em Casa House, descreveu o companheirismo do seu dormitório durante a totalidade dos eventos de vazamento de gás. “Uma coisa que eu realmente aprecio é que as meninas lidam com isso tudo muito bem. Nós estávamos todas super calmas. Os filhos de nossos conselheiros do dormitório estavam lá. Ficamos juntos o tempo todo”, disse Busse em entrevista ao O Phillipian. “E quando eles nos trouxeram para o Cage, e com toda aquela comida lá, nós meio que coletamos algumas coisas para o nosso dormitório juntas. Muitos alunos [que não estão residentes de Casa Morton] acabaram de sair; alguns foram para Boston, alguns foram até sem permissão. Foi muito legal que [as garotas de Morton] tenham ficado muito próximas e ajudado umas às outras.” Outros membros da comunidade também ajudaram, como Ellen Greenberg, Instrutora de Matemática e Estatística, que preparou brownies para as meninas em Morton, segundo Busse. “Nossos conselheiros de casa no dormitório não podem cozinhar; eles não podem usar seu fogão ou forno, eles não têm água quente, eles não têm calefação e não podem usar seus secadores. Por isso, temos uma sorte incrível porque eles entraram e disseram: “Vamos instalar um tanque de propano para o seu aquecedor, um aquecedor de água elétrico e fornecer serviço de lavanderia gratuito. Eles nos disseram que seria uma semana, e foi na verdade um dia. Já tínhamos água quente na manhã de ontem”, disse Busse.

Sep 27, 2018